PE-TP Tolera pernoita
/
Lamego

PE-TP LAMEGO – Viseu | Pn(0 EUR)
Lamego

Endereço
R. Dom Dinis, Lamego
Telefone
Palavra-chave
Lamego, Peso da Régua, Pinhão, Viseu
  • GPS (DDD)
    41.095508, -7.812158
  • GPS (DMS)
    41°05'43.8''N, 7°48'43.8''W
  • Fonte Imagens
    FOTOS EXCLUSIVAS EUROSTOPS

O estacionamento recomendado localiza-se junto ao Multiuso de Lamego ao lado da escadaria para o santuário Nossa Senhora dos Remédios. Trata-se de um estacionamento misto sem qualquer infraestrutura de apoio ao autocaravanista.


LAMEGO

Cidade antiquíssima, datando já do tempo dos romanos, foi reconquistada definitivamente em 1057 por Fernando Magno de Leão aos mouros; quando os distritos foram instituídos em 1835 por uma reforma de Mouzinho da Silveira, Lamego foi inicialmente prevista como sede de distrito; mas nesse mesmo ano a sede do mesmo foi deslocada para Viseu, devido à sua posição mais central.
Foi em Lamego que teriam decorrido as lendárias Cortes de Lamego, onde teria sido feita a aclamação de D. Afonso Henriques como Rei de Portugal e se estabeleceram as “Regras de Sucessão ao Trono”.

É sede da diocese de Lamego (a única diocese portuguesa que não corresponde a uma capital de distrito), e no concelho são numerosos os monumentos religiosos, dos quais se destacam a Sé Catedral, a Igreja de São Pedro de Balsemão e o Santuário da Nossa Senhora dos Remédios, que dá também o nome a Romaria anual cujo dia principal é o 8 de Setembro, que é também o feriado municipal.

Conhecida também pela sua gastronomia, nas qual se destacam os seus presuntos, o “cabrito assado com arroz de forno” e pela produção de vinhos, nomeadamente vinho do Porto, de cuja Região Demarcada faz parte, e pelos vinhos espumantes.

O que visitar

CISTERNA

Localizada no Bairro do Castelo, no interior do reduto muralhado que protegia a cidade, éjustamente considerada uma das mais notáveis cisternas urbanas do período medieval (séc.XIII).Constitui um amplo reservatório de estrutura abobadada,construída em silhares graníticos siglados. No terraço superior, lajeado, rasgam-se ainda as aberturas que ao longo de sucessivas gerações permitiram à população urbana abastecer-se da água necessária às suas atividades quotidianas.

CASTELO

Classificado como Monumento Nacional, o Castelo de Lamego ergue-se no ponto mais elevado do espaço muralhado onde a cidade teve origem. Encontra-se documentado desde os meados do séc.X, num período em que o Vale do Douro foi fortemente disputado pelas forças Cristãs e Muçulmanas até à “Reconquista” definitiva da cidade pelos exércitos de Fernando Magno, em 1057.

No Castelo é possível fazer uma leitura da história da cidade, desde o longínquo tempo Proto-história, Romanização, do período Suevo-Visigodo (durante a qual Lamego foi promovida a sede episcopal), domínio Muçulmano e Reconquista Cristã.

BAIRRO DO CASTELO

Bairro do Castelo é um espaço muralhado onde a cidade de Lamego teve origem. O acesso faz-se por duas entradas (Porta dos Fogos ou Porta da Villa ou dos Figos e Porta do Sol), definindo estas a estrutura da muralha do primitivo burg.

NOSSA SENHORA DOS REMÉDIOS

Em 1551, foi nomeado bispo de Lamego D. Manuel de Noronha que, para além de muitas obras existentes na cidade de Lamego,mandou erigir, no ano de 1568, a primeira capela em honra da Nossa Senhora dosRemédios,exatamenteno monte de Santo Estêvão, e que hoje é designado por Pátio dos Reis. Mais tarde, em 1750, a Irmandade de Nossa Senhora dos Remédios, na época liderada pelo Cónego José Pinto Teixeira, devido à degradação da capela seiscentista, mandou-a demolir e construir um magnificente Santuário dotado de um amplo e harmonioso espaço para atrair mais peregrinos e capaz de acolher mais crentes ligando-o à cidade. Esta obra foi concluída em 1761.  A Romaria de Lamego, dedicada a Nossa Senhora dos Remédios, vive o momento mais alto com a celebração da grandiosa Procissão do Triunfo,realizada a 8 de setembro,naqual os andores ostentam imagens sagradas puxadas por juntas de bois, como manda a tradição. Nesta altura, as ruas ficam ricamente ornamentadas, ganhando uma nova dinâmica, onde a componente religiosa adquire toda a sua plenitud.


Tome nota:

ESTACIONAR/PERNOITAR é a imobilização da autocaravana na via pública, respeitando as normas de estacionamento em vigor, designadamente o Código da Estrada, independentemente da permanência ou não de pessoas no seu interior.

ACAMPAR é a imobilização da autocaravana, ocupando um espaço superior ao seu perímetro, em consequência da abertura de janelas para o exterior, uso de toldos, mesas, cadeiras e similares, para a prática de campismo. Isto não é permitido nestes espaços!

ASA mais próxima: ASA-P LAMEGOASA-M PESO DA RÉGUA e ASA-S E.LECLERC (não permite pernoita)


Também disponível em: | Also available:

  

Vêr descrição
Adequado Autocaravanas até 7mts
APE Selo AZUL
Comérico por perto
Exposição Solar
Sanitários WC
Zona central
Zona histórica
0
SERVIÇOS
0.0%
AMBIENTE
0.0%
SEGURANÇA
0.0%
PREÇO
0.0%
LOCALIZAÇÃO
0.0%