Autocaravanas

Evite o desgaste prematuro dos pneumáticos

Submetidos a forças importantes, os pneus perdem ar ao longo do tempo. Por consequência, é recomendado verificar a respetiva pressão pelo menos uma vez por mês. É uma operação importante para a sua segurança e para prevenir o desgaste prematuro dos pneus.

Pneus com enchimento incorreto: quais são os riscos

Pressão correta

A pressão é um fator de segurança e de longevidade dos pneus. Deve ser controlada a frio pelo menos uma vez por mês. Em caso de controlo a quente, é aconselhado adicionar 0,3 bar à pressão recomendada.

Pressão excessiva (+0,5 bar)

Pneus com pressão em excesso sofrem um desgaste prematuro no centro, o que reduz a vida útil do pneu. A redução da superfície de contacto com o solo implica uma perda de aderência que pode ser perigosa em curva ou na travagem.

Pressão insuficiente (-0,5 bar)

Pneus com pressão insuficiente sofrem um desgaste prematuro nos ombros, o que reduz a vida útil do pneu. A compressão do pneu aumenta o consumo de combustível e torna a evacuação da água menos eficaz.

Pressão claramente insuficiente (-1,5 bar)

Pneus com muito pouca pressão podem provocar um acidente (20% dos acidentes estão associados ao estado dos pneus). O sobreaquecimento dos mesmos implica um risco importante de rebentamento. A 130 km/h, um rebentamento provoca em geral uma perda de controlo do veículo.

A pressão é um fator essencial de segurança e de longevidade dos seus pneus. Um com pressão insuficiente ou um com pressão excessiva podem ter consequências negativas no desempenho.

Com uma pressão muito forte, o pneu vai ficar mais convexo, o que vai reduzir a superfície de contacto com o solo. Esta deformação tem várias consequências:

  • Um desgaste mais rápido da parte central do pneu ;
  • Uma aderência reduzida, porque o pneu tem um contacto menor com o piso ;
  • Uma amortização reduzida nas irregularidades do piso.

Pelo contrário, com uma pressão muito baixa, o esforço vai assentar nos ombros do pneu, os quais trabalham de forma anormal. Este processo irá provocar efeitos negativos em cascata:

  • Um desgaste prematuro ao nível dos ombros do pneu ;
  • Um aumento anormal da temperatura do pneu, que pode provocar o seu rebentamento e uma perda de controlo do veículo ;
  • Uma aderência à estrada alterada, nomeadamente em piso molhado ;
  • Um consumo de combustível mais importante.

O conselho de rezulteo : para uma boa estanqueidade do pneu, não se esqueça de colocar as tampas das válvulas depois de um controlo de pressão. Deve mudá-las quando colocar pneus novos.

Como controlar a pressão dos pneus ?

A pressão deve ser controlada a frio. Isto significa que os seus pneus não rolaram há pelo menos 2 horas ou que rolaram menos de 3 km e numa velocidade reduzida. Se não tiver tempo de os deixar arrefecer, adicione 0.3 bar à pressão recomendada. Nunca esvaziar um pneu a quente.

Qual é a pressão correta?

A pressão correta é aquela recomendada pelo construtor automóvel. As pressões recomendadas (trem dianteiro e trem traseiro) estão indicadas no manual de utilização e/ou na etiqueta colada em geral na coluna da porta do condutor, na tampa do depósito de combustível ou no porta-luvas. Respeite-as: são o resultado de vários testes realizados pelo fabricante de pneu e pelo construtor automóvel.

Aceder à fonte da notícia

Acerca do Autor...

Sugestões relacionadas

Avaliar este local

Avaliar este local

O seu endereço não será exposto